COLUNA | Tribal, para os íntimos

Fala galerinha!

Eu sou Werick Canellas, amante da música, DJ, colecionador de discos e, nas horas vagas, pesquisador musical.

Fui convidado pela equipe da Colors DJ para ser um dos colunistas da seção Tribal, onde vamos falar das referências e das influências de uma das vertentes da House Music: A Tribal House. Ou TRIBAL para os mais íntimos… rsrs…

A Tribal House surge no final de década de 80 e início dos anos 90 e é um subgênero da House Music com elementos de percussões musicais.

Danny Tenaglia, Junior Vasquez, Murk (Oscar G & Ralph Falcon), Kenny Dope, Louie Vega, Eric Kupper, Peter Rauhofer (Club 69) são alguns dos nomes que se destacaram no início dos anos 90 dentro do segmento.

A Tribal America Records foi a primeira gravadora a apostar no estilo. Mais tarde, já no final dos anos 90 e início dos anos 2000, ganhou popularidade quando nomes como Thunderpuss, Hex Hector, Victor Calderone, Tony Moran, Rosabel (Ralphi Rosario & Abel Aguilera) e Mike Cruz remixaram sucessos de artistas como Madonna, Whitney Houston, Cher, Donna Summer, Deborah Cox, Britney Spears entre outras.

Seguindo numa linha mais DUB e underground, o tribal ganhou adeptos como Antoine Clamaran, DJ Fist, Jesse Garcia, Angelo Kortez, Alma Matris, Laurente Wolf, Dario Nunez, que lançaram inúmeros EPs.

O ritmo tornou-se predominante em festas e clubs da cena Circuit, muito frequentada pelo público GLS e também se faz presente nos grandes festivais.

A dupla Sunnery James & Ryan Marciano conhecidos por sua energia incomparável no palco, fazem seu som com influências de tribal house e já se apresentaram muitas vezes no Tomorrow Land, um dos maiores festivais de música eletrônica do mundo.

No Brasil, temos grandes representantes do estilo. Um dos nomes de maior exemplo é a dupla de deejays VMC & Macau, mentores do projeto Altar.

Em 2007, a dupla fez história alcançando o primeiro lugar da parada Dance Club Songs da Billboard, com a música Party People em parceria com a diva Jeanie Tracy. Com esse feito, eles se tornaram os primeiros brasileiros a alcançarem o primeiro lugar nessa categoria. A Billboard é um dos mais importantes charts de música do mundo.

{linkar no Party People a nossa matéria sobre o Altar}

Ainda no Brasil, Edson Pride, Tommy Love, Fillipe Guerra, E-Thunder, Allan Natal, Enrry Senna, Demu, Ralph Factory, Thiago Dukky são alguns dos produtores de grande relevância na cena Tribal House.

Tem assunto pra muitas páginas!

Aqui na Colors DJ você vai conhecer mais dessa história e também vai ficar por dentro das novidades.

Até a próxima edição! 🙂

Compartilhe:
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email

Deixe uma resposta

Para Você

Posts Relacionados

REVELAÇÃO | “Minha identidade tem como foco e base a música preta mundial” – Iury Andrew – DJ Revelação

Que a carreira de DJ não tem sido fácil nessa pandemia não é novidade para ninguém, mas existem muitos DJs fantásticos e com histórias incríveis que não podem passar despercebidos. É o que será provado, mais uma vez, neste mês

Transformando sua ideia e projeto em Arte

A parceria de um designer, de um ilustrador e de uma fera no Google forma a agência digital Ivan T. Design Studio. Atuando há oito anos no mercado, traz um espírito inovador, desenvolvendo soluções para projetos que exijam um design

COLUNA | Como ser DJ na Pandemia?

Hey coloridos, o tema Pandemia é um tema recorrente aqui e também no nosso dia a dia, mas hoje eu quero dar um foco em segundo ou terceiro plano a ela, exatamente porque tenho visto uma luz no fim do

NOVIDADE | Deu trance nas Olimpíadas de Tóquio com a Seleção Brasileira de Ginástica Rítmica

O produtor Vegas assina a trilha sonora da coreografia que levou a medalha de ouro nos jogos Pan-Americanos no último final de semana Em 2019, o DJ e produtor brasileiro Vegas foi surpreendido ao saber que a sua música “Akasha”

COLUNA | Como fazer um bom Warm Up

O mercado de cursos para DJ nos últimos anos foi uma ótima oportunidade profissional. Havia muitas pessoas interessadas em aprender e poucos cursos disponíveis. Quem soube explorar esse mercado teve grande sucesso na época. Com a pandemia, dar aula passou

deixe sua opnião

Sugestão de pauta, opinião sobre nossos textos, envio de lançamentos, ...

%d blogueiros gostam disto: