COLUNA | “Respeitem a bagagem cultural da música eletrônica”

O ser humano vive em uma constante evolução e levando consigo todas suas criações nessa procura pelo desenvolvimento. Com a música, não poderia ser diferente! Com o passar dos anos, novas sonoridades vão aparecendo. Referências que antes eram consideradas high fashion caem no mainstream que com o tempo vão saturando e perdendo sua força, abrindo espaço para que novos conceitos entrem em ascensão. 

Vemos isso de forma muito clara fazendo uma pequena análise sobre a evolução da House Music, que começou nos anos 70 com a era da Disco Music e alguns anos a frente, a partir da evolução de recursos eletrônicos, ganhou seu próprio espaço e nome que se mantém sólido até os dias atuais e carrega toda uma bagagem histórica. 

Imagem da entrada do lendário clube The Warehouse, considerado o pioneiro desse estilo e contribuinte para a criação do nome e identidade da House Music - Fonte desconhecida.

Se eu for citar todas as vertentes criadas após o House dos anos 80 e tendo ele como base esse parágrafo ficaria demasiadamente cansativo, mas citando alguns exemplos vemos o Deep House, Tech House, Funky House, Acid House, Techno, entre muitas outras.

Porém tenho percebido que a geração mais atual de DJs e produtores, com o crescimento de estilos como por exemplo Bass House, Progressive House ou EDM, costumam por muitas vezes desmerecer a carga histórica da boa e velha House Music. Observando também o público alvo desses produtores que costumam apresentar uma certa dificuldade em aceitar um som visto como “mais antigo”, sem levar em conta que a história da música eletrônica vem se construindo desde os anos 70. Precisamos entender que se hoje contamos com uma gama de estilos para todos os gostos é porque no passado aconteceu uma revolução sonora. 

Imagem do interior do clube The Warehouse, Fonte desconhecida.

Creio que nós da nova geração precisamos respeitar o processo evolutivo do som eletrônico sem desprezar ou ignorar de onde vem suas raízes. Não podemos negligenciar a força de artistas que pavimentaram a estrada para chegarmos onde estamos hoje e que sempre estará em constante aperfeiçoamento. 

Buscar a origem e todo o processo de desenvolvimento da música eletrônica é mais que essencial para os amantes dela. Para que possamos entender de onde saímos e para onde vamos. 

Imagem de uma placa da Prefeitura de Chicago que renomeou um trecho da Rua Jefferson Street, próxima do local da antiga Warehouse como Rua Frankie Knuckles “O padrinho da House Music - Fonte desconhecida.

Fico muito feliz que vários artistas atuais tenham percebido a necessidade de reafirmar seus predecessores e tentando de variadas formas inserir essa história em suas produções atuais. Como citei em outra matéria, a busca por referências “oitentistas” tem se tornado cada vez mais frequente e levando de certa forma ao público um pouco de conhecimento dessa história tão linda de elevação e resistência do underground dos clubes de Chicago e Detroit de 40 anos atrás. 

Não podemos esquecer ou negligenciar esse enredo de avanço e aperfeiçoamento. A música evolui, mas suas raízes serão eternas!

Compartilhe:
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email

Deixe uma resposta

Para Você

Posts Relacionados

REVELAÇÃO | “Minha identidade tem como foco e base a música preta mundial” – Iury Andrew – DJ Revelação

Que a carreira de DJ não tem sido fácil nessa pandemia não é novidade para ninguém, mas existem muitos DJs fantásticos e com histórias incríveis que não podem passar despercebidos. É o que será provado, mais uma vez, neste mês

Transformando sua ideia e projeto em Arte

A parceria de um designer, de um ilustrador e de uma fera no Google forma a agência digital Ivan T. Design Studio. Atuando há oito anos no mercado, traz um espírito inovador, desenvolvendo soluções para projetos que exijam um design

COLUNA | Como ser DJ na Pandemia?

Hey coloridos, o tema Pandemia é um tema recorrente aqui e também no nosso dia a dia, mas hoje eu quero dar um foco em segundo ou terceiro plano a ela, exatamente porque tenho visto uma luz no fim do

NOVIDADE | Deu trance nas Olimpíadas de Tóquio com a Seleção Brasileira de Ginástica Rítmica

O produtor Vegas assina a trilha sonora da coreografia que levou a medalha de ouro nos jogos Pan-Americanos no último final de semana Em 2019, o DJ e produtor brasileiro Vegas foi surpreendido ao saber que a sua música “Akasha”

COLUNA | Como fazer um bom Warm Up

O mercado de cursos para DJ nos últimos anos foi uma ótima oportunidade profissional. Havia muitas pessoas interessadas em aprender e poucos cursos disponíveis. Quem soube explorar esse mercado teve grande sucesso na época. Com a pandemia, dar aula passou

deixe sua opnião

Sugestão de pauta, opinião sobre nossos textos, envio de lançamentos, ...

%d blogueiros gostam disto: