COLUNA | Warm up: A importância e suas realidades

Não é de hoje que ouvimos DJs (alguns nem sempre profissionais) reclamarem, ou simplesmente não aprovarem o fato de abrir pista, seja para show ou para alguma festa. Talvez você já possa ter ouvido “Por que DJ xxxx vai abrir, sendo que tem outro e outro?” ou pode ouvir também “Fulano estragou o warm up…” e por aí pode ouvir outras coisas. Mas o que vale ressaltar sobre a questão em torno do Warm up é:

– É bom ou ruim fazer?
– É menos ou mais importante?
– É profissional e coerente?

Convido você nessa leitura a esclarecer esse universo, quais consequências, benefícios, dicas e desmistificação do assunto. Isso serve para você produtor, DJ e, claro, nosso amado público.

Warm up, da tradução da língua inglesa, significa Aquecer/Aquecimento e normalmente em shows e festas de música eletrônica, DJ e/ou grupos musicais abrem pista para artistas que são os “Headliners” (cabeças/principais) daquele evento. Uma vez que entendemos o sentido voltamos a pergunta “É bom ou ruim ser o artista do Warm up?

Esta questão normalmente é vista em torno do “EGO”, na realidade, da impressão como o artista tem da visão do produtor e do público. Quando o artista está na abertura/aquecimento, em geral, há o entendimento de que não há capacidade de ser um “headline” ou um artista para executar seu trabalho no meio ou final do evento, o que torna essa explanação uma mentira. Na realidade, é necessário desfazer a ideia de que a apresentação e/ou set do artista são únicos e não estão ligados a nada e a ninguém, uma vez que aceito se apresentar em uma festa, festival ou evento, é preciso entender que o fato de estar no line configura que todos os participantes devem contar uma história, não importa se é no começo, meio ou fim. A relevância é saber sobre a postura que deve-se ter, independentemente de qual seja sua posição. Então, assim como um headline, o artista do Warm up tem uma grande e especial missão, pois ele é quem vai ditar sobre o aquecimento, a energia, a vibe e a aceitação do público.

O Warm up é o “welcome”, o convite de boas-vindas, este momento no line normalmente é aberto a artistas mais novos, mas que muitas vezes estão também destinados à artistas consagrados. Não existe diminuição no valor do artista, sob a ótica do Warm up, muito pelo contrário, exige um preparo cirúrgico, preciso e muito profissional para essa missão, por isso, como primeiro ponto de entendimento, o Warm up não está ligado ao adjetivo de ser bom ou ruim, está sob a visão do profissional saber ou não cumprir com o seu papel.

Entendido esse primeiro passo, pergunta-se “Qual a coerência que o artista que faz ou vai fazer abertura deve ter?”. Em torno dessa questão, sempre há uma delicadeza, uma vez que o Warm Up vai destinar como a festa seguirá, ou seja, como o artista irá se apresentar. Caso a apresentação seja fora do proposto, quase em 100% das vezes, a noite não segue conforme deveria e, por consequência, não tem o tem o planejado e muitas vezes têm o fracasso do evento. O que é importante, para que não aconteça isso, a ressalva é sempre em torno da escolha do artista e do briefing (que deve ser muito bem detalhado pelo produtor), com isso tem-se o diferencial para uma boa execução. Então, para ser coerente, é necessário o entendimento da escolha do artista, pois ele precisa saber e se preparar de acordo para o momento, um briefing bem explicado pelo produtor e também a pronta e imediata resposta do público. Quando há a excelência da entrega desses pontos, dificilmente teremos uma resposta negativa.

Sobre a importância do Warm Up, como já dito indiretamente, e agora sendo bem claro, a abertura de um evento muitas vezes dita sobre como será o comportamento, vibe e a aceitação da festa. O que na minha mais clara e humilde opinião, acredito que o Warm Up é tão importante quanto a atração principal, uma vez que, um Warm Up bem aceito pelo público, bem realizado pelo artista e bem explicado pelo produtos, raramente levará a possibilidade do erro.

Com isso, meu caro leitor, façamos do warm up daquele momento de um início de festa, show e evento para que fique marcado em nossas mentes, em nossos corações e em nossas lembranças.

Aqui coloco 8 dicas de como enxergo o Warm Up e de como acredito que os profissionais devem seguir:

1 – Avalie o público e a atmosfera do momento. O que quer que você toque vai depender do que é necessário para deixar o público animado o suficiente para o ato principal, sem exagerar também. Cada público é diferente, portanto, fique de olho na pista e toque de acordo;

2 – Toque músicas conhecidas, mas não as faixas mais fervidas e bombadas do momento. Apenas se concentre em faixas que darão energia e andamento para o evento, para que o público tenha uma sensação familiar ou que os deixem agitados da maneira certa. Isso não significa apenas tocar faixas que o público conhece, mas um som que seja familiar o suficiente e adequado para o ambiente, de modo que o público esteja dançando e pronto para a atração que vem depois de você;

3 – CHEGUE CEDO. Faça amizade com a equipe. Reserve um tempo para conhecer um pouco sobre a equipe do local em que você tocará. Mais importante ainda, você deve mostrar-se como alguém positivo, educado e amigável. Na verdade, isso ajuda a definir o clima ao longo da noite, já que seu próprio humor e perspectiva serão refletidos no set e na apresentação;

4 – Prepare-se para o sua apresentação, vá até lá com uma ideia da música que você gostaria de tocar. Saiba de antemão o tipo de música que você deve tocar como DJ ou artista de Warm up, tenha suas playlists prontas e vá para o seu set preparado para sua apresentação, assim como qualquer outra coisa que possa surgir durante seu set;

5 – Ao mesmo tempo, esteja preparado para se desviar da ideia de playlist que você tem. Como acabei de dizer, cada evento tem uma atmosfera diferente e você deve aprender a “ir com o fluxo” ao ler a pista durante sua apresentação. É bom ter uma ideia geral da direção em que você irá, mas deve ser flexível para que você possa alterá-la para se adequar à velocidade da noite;

6 – O talento técnico e a seleção das músicas é super importante. Lembre-se, você vai precisar mostrar seu talento para que a plateia se sinta à vontade e vibre em cada música. Seleção e escolhas dão o nome! Você pode fazer de tudo, até tocar com quatro setups, ter os melhores instrumentos, melhor banda, mas se a sua música não for boa, você já sabe né… FAIL;

7 – Esteja atento, especialmente com as pessoas iniciais que chegam. Essas pessoas são as que você precisa observar, pois o entusiasmo inicial deles ditará o clima para o resto do evento. Mesmo se não houver dança, fique atento a reações como balançar a cabeça, pequenos movimentos de dança, sorrisos ou reação vocal ao que quer que esteja tocando. Lembre-se também de se concentrar naqueles que realmente vieram para a festa;

8 – Lembre-se sempre de que você faz parte de um plano maior: a festa ou evento. Esteja atento e respeite o ato principal que as pessoas vieram ver em primeiro lugar. As faixas que você toca e o tempo que você está no palco devem refletir esse respeito.

Apesar do que alguns possam pensar, ser DJ ou artista de Warm Up não é tarefa fácil. Esperançosamente, essas dicas e essa reflexão ajudarão abrir nossas ideias e entendimento para quando estivermos assistindo ou curtindo qualquer artista de Warm Up, vejamos como é fazer uma ótima apresentação de Warm up.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: