COLUNA | Os Mashups

Na arte da discotecagem, uma das coisas que faz o diferencial em uma apresentação se chama: “mashup”- a combinação de duas músicas diferentes já existentes com elementos de cada uma tocadas ao mesmo tempo. Pode ser um instrumental com uma acapella, por exemplo. A prática de remontar canções começou desde o início da música gravada.

Os mashups podem ser feitos ao vivo, durante a apresentação de um DJ, ou já gravados – muitos deles são distribuídos gratuitamente pela Internet. A palavra “mashup” ganhou popularidade quando o gênero se espalhou pelos Estados Unidos durante 2002-2003.

A diferença básica entre um produtor musical e um criador de mashups é que o criador do mashup normalmente não adiciona nenhum material novo, reutilizando os elementos das músicas produzidas por um produtor musical.

Mesmo assim, criar mashups exige criatividade, um bom ouvido e noções de teoria musical. Não se pode “ir misturando” qualquer coisa ao mesmo tempo. É como fazer um bolo colocando qualquer ingrediente que você vê na sua frente. É importante, no mínimo, combinar a tonalidade das músicas.

Uma questão sempre polêmica relacionada aos mashups se trata da proteção de direitos autorais. Se você é produtor, músico ou compositor, obviamente você vai querer evitar que suas obras sejam usadas sem permissão. Por outro lado, se você é um criador de mashups, o justo é você usar sua criatividade sem violar nenhum processo de direitos autorais. Mas é illegal usar a música de outra pessoa na minha “nova” música? Depende do propósito e do caráter de uso. Se você vai usar apenas na sua apresentação, em um set, isso é mais que permitido, é um processo criativo louvável na cena eletrônica. Um direito autoral é uma proteção legal concedida aos autores de obras originais.

Usar trechos de músicas diferentes para criar uma nova música também pode ser uma forma de arte e liberdade de expressão. Mesmo assim, a maioria dos criadores de mashup precisam estar cientes de que seu trabalho pode ser questionado a qualquer momento pelo artista original.

Jamais venda seus mashups. Você está infringindo a lei de Contrafação de Direitos Autorais. Publicar uma obra sem a permissão do autor, mesmo com a menção do nome do criador da obra, está previsto no Código Penal brasileiro como uma violação de direitos autorais que pode chegar a reclusão de até 4 anos.

Use e explore sua criatividade, misture artistas, acapellas, samples. Faça do seu set o mais divertido e cheio de boas experiências. O seu mashup pode acrescentar muito em uma música original, saiba usar todas suas referências nessa mistura.

Compartilhe:
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email

Deixe uma resposta

Para Você

Posts Relacionados

REVELAÇÃO | Nicole Lukiys: “Eu me encontrei ali atrás dos decks.”

Conheça Nicole Lukiys, apaixonada pela técnica da mixagem, constrói sets marcados pela dinâmica e harmonia. Ela é a revelação do techno desta edição de maio. Misturando vertentes como hard techno, peak time, techno rave, industrial, e influências do breakbeat e

LANÇAMENTO | “Classix Remix vol. 2”, por Roberto de Carvalho

Depois da incomensurável surpresa que foi o lançamento do primeiro volume do “Rita Lee e Roberto – Classix Remix”, às vésperas do lançamento do segundo volume, fico até inibido de escrever algo que esteja à altura deste projeto maravilhoso que

LANÇAMENTO | MARTIN GARRIX TEM AS COLABORAÇÕES DE BONO VOX E THE EDGE NO LANÇAMENTO DA FAIXA “WE ARE THE PEOPLE”

Hoje, os membros do U2, Bono Vox e The Edge, colaboram com o DJ holandês Martin Garrix na faixa “We Are the People”, single oficial do torneio de futebol UEFA Euro 2020. O U2 também acaba de disponibilizar no Spotify

LANÇAMENTO | A ESPETACULAR COLABORAÇÃO DE SIR ELTON JOHN E O YEARS & YEARS, NA RELEITURA DO CLÁSSICO “IT´S A SIN”, JÁ ESTÁ EM TODAS AS PLATAFORMAS DIGITAIS

Elton John e Years & Years se reuniram para uma performance verdadeiramente espetacular do clássico “It´s a Sin”, dos Pet Shop Boys, na cerimônia de premiação do BRIT Awards, realizada no último dia 11.  Assista aqui: A canção agora está

LANÇAMENTO | Le Dib segue com nova sonoridade de 2021 em “Gone” pela Sony

Em nova produção pela Sony, desta vez com uma pegada de Indie Rock, mas perfeita para as pistas de música eletrônica, Le Dib lança “Gone” surpreendendo novamente com sua maestria e versatilidade, e mantendo a nova sonoridade apresentada para 2021.

%d blogueiros gostam disto: