COLUNA | Identidade e Personalidade

O que torna um movimento artístico inovador é o que traz de realmente novo, deflagrando processos estéticos totalmente criativos, mas o que os torna realmente fecundos e renovadores é a personalidade de cada artista que deles participam. Sem ela, as ideias novas não produzem resultados significativos.

Na história da arte, cada tendência inovadora que se registra possui características próprias e, consequentemente, resultados artísticos distintos. Isso se deve à influência destas personalidades inovadoras e do contexto histórico em que surgem.

O que faz distinguirmos de cara uma tela de Modigliani? Ou o impacto imediato de um filme de David Lynch? E o reconhecimento imediato quando ouvimos um disco da Bjork ou do Thom Yorke? Esta tentativa de alguns artistas ao redor do globo de criar significativamente uma “impressão digital” em suas obras, uma “íris” inequívoca permanente do que transborda de suas almas, chama-se personalidade.

Quando comecei em estúdio, isso era uma condição sine qua non, muito particular, primeiramente me inspirando em produtores que seguiam esta estrada, como Todd Terry, Armand Van Helden e Peter Rauhofer, tendo mais tarde o privilégio de trabalhar com alguns deles. Com o tempo, percebi que o importante era criar, construir, começar do zero as peças, com os meus “pedacinhos” de personalidade que poderiam gerar semelhanças sonoras nas texturas.

Ainda na faculdade de arquitetura percebi que um dos meus preferidos, Frank Lloyd Wright, sempre tentou imprimir seus temas nos detalhes. Que felicidade ver na mesma década um “pedacinho” de sua criatividade nas paredes do apartamento do policial Deckard em Blade Runner.

Quantos de nós, numa pista de dança, reconhecemos a “mão” de um produtor musical em diversas tracks, de diversos artistas, às vezes em uma só noite?

Isso era totalmente comum e inspirador nos anos 80, 90 e 2000, pelo menos nas pistas LGBTQIA+, que ditavam as inovações. Mas, o que será que aconteceu com som da década de 2000 pra cá? Porque muitos dobraram a esquina lá atrás e a chamada “pista gay” continua na mesma “massa”: uma bateria de escola de samba retrô e olf fashioned. Culpar os “fruity-loops” da vida seria muito fácil (ou justo), mas a questão é simplesmente objetivo e controle.

Inovar é fazer a diferença! É deixar sua marca, sua digital, seu cheiro, para o resto do mundo. O mesmo respeito que louvamos um Di Cavalcanti, uma Tarsila do Amaral, um Ryan Murphy, ou um Djavan, também está dentro de nós, DJs, músicos e produtores de música.

Deflagrar os processos estéticos criativos e se tornar “inovador” é o caminho mais seguro da perpetuação de suas ideias e de torna-las “significativas”, seja nas pistas, nos iPods, ou nos streamings.

Compartilhe:
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email

Deixe uma resposta

Para Você

Posts Relacionados

REVELAÇÃO | Nicole Lukiys: “Eu me encontrei ali atrás dos decks.”

Conheça Nicole Lukiys, apaixonada pela técnica da mixagem, constrói sets marcados pela dinâmica e harmonia. Ela é a revelação do techno desta edição de maio. Misturando vertentes como hard techno, peak time, techno rave, industrial, e influências do breakbeat e

LANÇAMENTO | “Classix Remix vol. 2”, por Roberto de Carvalho

Depois da incomensurável surpresa que foi o lançamento do primeiro volume do “Rita Lee e Roberto – Classix Remix”, às vésperas do lançamento do segundo volume, fico até inibido de escrever algo que esteja à altura deste projeto maravilhoso que

LANÇAMENTO | MARTIN GARRIX TEM AS COLABORAÇÕES DE BONO VOX E THE EDGE NO LANÇAMENTO DA FAIXA “WE ARE THE PEOPLE”

Hoje, os membros do U2, Bono Vox e The Edge, colaboram com o DJ holandês Martin Garrix na faixa “We Are the People”, single oficial do torneio de futebol UEFA Euro 2020. O U2 também acaba de disponibilizar no Spotify

LANÇAMENTO | A ESPETACULAR COLABORAÇÃO DE SIR ELTON JOHN E O YEARS & YEARS, NA RELEITURA DO CLÁSSICO “IT´S A SIN”, JÁ ESTÁ EM TODAS AS PLATAFORMAS DIGITAIS

Elton John e Years & Years se reuniram para uma performance verdadeiramente espetacular do clássico “It´s a Sin”, dos Pet Shop Boys, na cerimônia de premiação do BRIT Awards, realizada no último dia 11.  Assista aqui: A canção agora está

LANÇAMENTO | Le Dib segue com nova sonoridade de 2021 em “Gone” pela Sony

Em nova produção pela Sony, desta vez com uma pegada de Indie Rock, mas perfeita para as pistas de música eletrônica, Le Dib lança “Gone” surpreendendo novamente com sua maestria e versatilidade, e mantendo a nova sonoridade apresentada para 2021.

%d blogueiros gostam disto: