COLUNA | Sem juridiquês: Vamos falar de dinheiro?

Foto divulgação

Hoje, com as diversas formas de comunicação facilitadas através da internet, não basta saber fazer música, você precisa enfrentar a enorme concorrência com inteligência para sobreviver no mercado e viver disso.

O que mais tenho observado no meio musical é a falta de preparação do indivíduo para o mercado. Não digo em relação ao talento para música, mas, sim para o lado business.

Vimos nas edições anteriores que o DJ sequer é regulamentado como um profissional da música, imagine a dificuldade que ele suporta para crescimento no nicho musical.

Expliquei que existem diversas funções conectadas para a produção de um fonograma e a importância de providenciar o seu registro.

Porém, quem vive de música não se sustenta apenas com a execução de seus fonogramas. É preciso pensar como um empreendedor e é isso que o mercado está buscando.

Vamos dar o exemplo da Anitta: não é a voz mais potente, mas soube empreender o suficiente para ser conhecida internacionalmente e ser referência na música brasileira.

Ela é compositora, intérprete, produtora e empresária. Criou marcas, lançou tendência, fez parcerias importantíssimas e até lançou um desenho animado infantil (entre outras coisas). A mulher é uma potência como um todo.

Outros cases de sucesso são Alok – já mencionado por mim anteriormente – e Vintage Culture. Eles lidam com a sua carreira como uma empresa. Não entregam um set, mas um show completo.

Não é à toa que vemos vários artistas demitindo seus empresários e/ou se separando da própria banda para seguir a carreira solo.

Já ouvi bastante que quem se dá bem nesse meio é o empresário. Será?

Então, vale a pergunta: Você sabe o que um agente e empresário fazem?

Em resumo, o agente é o responsável pela venda de shows e recebe um percentual em cima destes.

Ele vende o show, intermedia negócios às custas do artista, ou seja, vende um produto que não é dele.

Já o empresário ou maneger é a pessoa responsável por transformar o artista em empresa. É o cara que pensa e gerencia a estratégia de business.

Vale dizer que o empresário precisa entender, além de música, mas também como o mercado funciona e como o artista deve se comportar em relação a este.

Esse indivíduo é quem traciona a carreira do artista, podendo ser investidor ou não.

O empresário celebra com o artista um contrato no qual unem seus recursos para o desenvolvimento do negócio/projeto conjunto, assim como dividem resultados, seja lucro ou prejuízo.

Devo esclarecer ainda a função da gravadora/selo, que é a pessoa jurídica que geralmente lança o artista e possui meios para inserir este na mídia. Esse conceito de gravadora está sendo reformulado, com base na necessidade do mercado, ante as mudanças da comunicação pela internet.

É importante, portanto, frisar que quanto mais funções (Artista, Produtor, Empresário) o DJ tiver na sua carreira, mais ele lucrará.

Fica a dica para os DJs: Abra uma empresa em nome do artista.

Isso é essencial para separar o Artista da Pessoa Física – exemplo: Anitta (artista) e Larissa (pessoa física).

Essa separação interfere em questões tributárias e de responsabilidade civil. Assim, desvincula a incidência do fisco e das responsabilidades indenizatórias (que por ventura possam ocorrer) da pessoa física. Isso traz uma blindagem, inclusive patrimonial.

Para a abertura de uma empresa é necessário contratar um contador.

Eu, como advogada, entendo ser essencial a consulta de um profissional da advocacia também, uma vez que a abertura de uma empresa pode ter diversas implicações jurídicas, incluindo questões contratuais com os envolvidos no projeto.

O DJ empreendedor (empresário) forma uma carreira sólida no mercado, consegue espaço em grandes festivais, forma parcerias positivas.

Nesse passo, sugiro aos DJs a terem um network interessante no meio e busque sempre conversar com outros DJs e produtores sobre música, carreira e tendências de mercado.

Outra dica que eu dou é: Estude!

Empreender muitas vezes está no sangue, mas administrar bem um negócio requer estudo e conhecimento.

Como o próprio Lukas Ruiz (Vintage Culture) afirma: “Busque conhecimento, sempre. Aprender tudo o que puder, seja no estúdio, seja na pista, seja sobre a cultura da nossa arte, conhecimento é a chave.” (Referência – https://g1.globo.com/rs/rio-grande-do-sul/planeta-atlantida/2018

Portanto, DJ, entenda de música e de mercado, mas também de administração para empreender a sua carreira, transformar o seu talento em dinheiro.

Compartilhe:
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on telegram
Telegram
Share on email
Email

Deixe uma resposta

Para Você

Posts Relacionados

REVELAÇÃO | Nicole Lukiys: “Eu me encontrei ali atrás dos decks.”

Conheça Nicole Lukiys, apaixonada pela técnica da mixagem, constrói sets marcados pela dinâmica e harmonia. Ela é a revelação do techno desta edição de maio. Misturando vertentes como hard techno, peak time, techno rave, industrial, e influências do breakbeat e

LANÇAMENTO | “Classix Remix vol. 2”, por Roberto de Carvalho

Depois da incomensurável surpresa que foi o lançamento do primeiro volume do “Rita Lee e Roberto – Classix Remix”, às vésperas do lançamento do segundo volume, fico até inibido de escrever algo que esteja à altura deste projeto maravilhoso que

LANÇAMENTO | MARTIN GARRIX TEM AS COLABORAÇÕES DE BONO VOX E THE EDGE NO LANÇAMENTO DA FAIXA “WE ARE THE PEOPLE”

Hoje, os membros do U2, Bono Vox e The Edge, colaboram com o DJ holandês Martin Garrix na faixa “We Are the People”, single oficial do torneio de futebol UEFA Euro 2020. O U2 também acaba de disponibilizar no Spotify

LANÇAMENTO | A ESPETACULAR COLABORAÇÃO DE SIR ELTON JOHN E O YEARS & YEARS, NA RELEITURA DO CLÁSSICO “IT´S A SIN”, JÁ ESTÁ EM TODAS AS PLATAFORMAS DIGITAIS

Elton John e Years & Years se reuniram para uma performance verdadeiramente espetacular do clássico “It´s a Sin”, dos Pet Shop Boys, na cerimônia de premiação do BRIT Awards, realizada no último dia 11.  Assista aqui: A canção agora está

LANÇAMENTO | Le Dib segue com nova sonoridade de 2021 em “Gone” pela Sony

Em nova produção pela Sony, desta vez com uma pegada de Indie Rock, mas perfeita para as pistas de música eletrônica, Le Dib lança “Gone” surpreendendo novamente com sua maestria e versatilidade, e mantendo a nova sonoridade apresentada para 2021.

%d blogueiros gostam disto: